La Habitación del Jazz – José Ramon

O Nova Iorquino Michael Lauren toca bateria desde os 8 anos. Frequentou a Universidade Johns Hopkins, o Conservatório Peabody e a Berklee College of Music. É um membro fundador do mundialmente respeitado Drummers Collective NYC e o fundador e diretor artístico da escola The International Drum Academy em Lisboa.

 

Tocou e/ou gravou com artistas como Chuck Berry, Benny Golson, Paul Anka, Tom Harrell, Tom Jones, Bill Frisell, Bob Mintzer, Milt Hinton, Teo Macero, Mike Stern, Silje Nergaard, Dena DeRose e muitos mais. 

É autor de sete livros.

 

Lauren já por passou por “La Habitación del Jazz” em duas ocasiões com a sua banda All Stars. Em 2016 com “Once Upon a Time in Portugal” e em 2018 com “Old School/Fresh Jazz”.

 

Apresenta agora um Trio com dois excelentes músicos portugueses: Vasco Agostinho na guitarra e João Custódio no baixo.

 

“Live at Moby Dick Records” foi gravado em 2021 numa emissão em Streaming (em direto) a partir dos estúdios Mobydick Records. Uma editora independente criada em 2005 pelos músicos Alex Liberalli, Budda Guedes e Nico Guedes com o objetivo de publicar música sem limitações comerciais e com completa liberdade artística para os seus músicos. 

 

Este disco é o reflexo da diversidade musical de Lauren, que demonstra dominar uma variedade de géneros como o Rock, o Blues, o Funk e o Jazz. Tudo isto sobre uma base de Swing puro e duro.

 

O álbum começa com “Biji”, uma composição de Sonny Rollins adaptada para um trio com arranjos de Lauren e de Agostinho. É um tema muito enérgico, cheio de ritmo e com solos intensos, características de Michael Lauren que acredita na magia de gravar em direto! 

 

No “Ritual Do Cabrito” de Agostinho, ouvimos claramente um Jazz/Rock com distrosão na guitarra, linhas de baixo fortes de Custódio e claro uma linguagem autêntica de Lauren que oferece um resultado alegre e enérgico deste idioma.

 

Relaxamos com “Bonfim Blues”, um blues de Lauren que se inicia com um agradável detalhe rítmico na bateria. Agostinho demonstra a sua amplitude no Jazz, no Rock e agora dominando o Blues. O baixo de Custódio transmite uma base consistente e brilhante. Cria-se aqui liberdade e espaço para cada músico explorar os solos.  

 

O funk aparece com evidência em “Sempre Em Frente” uma composição de Lauren e Agostinho com arranjos de Lauren. Começa com a bateria acompanhada do baixo para dar protagonismo ao som sujo distorcido e impactante da guitarra. 

 

O baixo sai à luz em “Looking Back At Life” com uma completa introde Custódio. Outra composição de Lauren e Agostinho. Ouvimos uma balada relaxante e sensual com ênfase da guitarra e da linha de baixo com um trabalho fantástico quase impercetível de Lauren.

 

“Fresco” é um tema alegre com uma excelente interpretação do seu autor Agostinho. O pulso incansável de Custódio sempre presente na secção rítmica novamente com um Lauren discreto na bateria a deixar todo o protagonismo aos companheiros.

 

Terminamos com “A Bridge Remembered” do duo compositor Lauren-Agostinho. Um tema mais veloz guiado pela guitarra com uma secção rítmica bem intensa.

 

No disco “Live at Mobydick Records” temos um Jazz cheio de energia, muito fresco, emocionante, contundente e sem dúvida autêntico, tocado honestamente por um homem de quem se disse: “é um baterista de Jazz com um coração no Rock!”. Com os seus 72 anos demonstra aqui um fervor e entusiasmo que provoca inveja.

Back to Press Page